Velho conhecido na área do Direito, o exame da OAB ocorre 3 vezes por ano e é requisito obrigatório para o exercício da advocacia. Aliás, o último exame de 2017 está chegando! No dia 19 de novembro, estima-se que pelo menos 100 mil candidatos deverão prestar a primeira fase e se preparar para a segunda, marcada para 21 de janeiro de 2018. O prazo está apertado, mas nada de desespero: neste artigo você encontrará orientações para um melhor desempenho, além de 5 dicas para pôr em prática já!

Para os marinheiros de primeira viagem, prestar um exame da OAB pode parecer algo muito assustador. Se você é daqueles que está se planejando desde a publicação oficial das datas, bom para você. Mas se deixou para a última hora e o desespero está tomando conta, tudo bem também: com um pouco de organização, direcionamento e apoio tecnológico (é a nossa dica número 5!), mostramos que ainda dá tempo de se preparar.

Vamos lá?

Antes de tudo:

Acalme-se. E quebre mitos: você sabia que estudar “tudo” não é uma boa estratégia? E que por mais exigente que seja, comparar um exame da OAB a um concurso público também não faz sentido? Por vezes, as maiores barreiras mentais são criadas através de mitos como esses. Estudar “tudo” é um erro, pois as questões são distribuídas por áreas, e algumas terão peso maior do que outras. E a história de que prestar o exame se assemelha a uma disputa por uma vaga em concurso público, tamanha “concorrência”? Nada mais irreal. Você não está prestando o exame para competir: você está apenas se qualificando para exercer a sua profissão de acordo com a lei.

Não se deixe influenciar. É sabido a tendência do ser humano de se autossabotar. Pare já com isso e pense que o exame da OAB não é tão complicado quanto parece. Converse com outras pessoas que já o fizeram o Exame para ter uma noção mais clara, mas não se deixe levar apenas pelas dificuldades que elas tiveram.

Crie cenários para elevar a sua autoconfiança. Dedique algum tempo para montar e visualizar o cenário ideal: você chegando calmo ao local, sentindo-se confiante, lendo e compreendendo as questões sem dificuldade. Construir uma imagem positiva de algo que se quer ajuda o seu cérebro a internalizar a mensagem e aumenta gradativamente as chances de sucesso.

Ciente dos três pontos acima? Ótimo! Agora vamos às dicas:

 

1. Faça um teste rápido: o que você já sabe?

Procure os exames anteriores (Provas FGV) e teste-se. É isso mesmo! Responda às questões de maneira intuitiva, com todo o conhecimento que você já tem, e poderá obter uma ideia do quão preparado (e disposto!) você está no momento, nem que seja para correr atrás do prejuízo. Familiarizando-se com o estilo do exame, sua ansiedade diminui e você se adapta mais rapidamente para resolver as questões no dia oficial.

 

2. Saiba medir a importância das disciplinas

Para evitar o famoso “vou estudar de tudo um pouco”, o segredo é focar e calcular o peso de cada disciplina. Dessa forma, você evita estudar demais sobre um assunto que não tem tanta relevância para o exame da OAB. Com base nos últimos exames, classificamos as disciplinas abaixo como as mais exigidas, a partir do número médio de questões e suas variações. Acompanhe:

 

DISCIPLINAS MAIS EXIGIDAS
Estatuto da Advocacia e Código de Ética: varia de 8 a 10 questões
Direito Constitucional: varia de 6 a 8 questões
Direito Civil: varia de 5 a 7 questões
Direito Administrativo: varia de 5 a 7 questões
Direito Processual Civil: varia de 4 a 6 questões
Direito Penal: varia de 4 a 6 questões
Direito do Trabalho: 6 questões
Direito Empresarial: 5 questões
Direito Processual Penal: 5 questões
Direito Processual do Trabalho: 5 questões
Direito Tributário: 4 questões
Direitos Humanos: de 2 a 3 questões
Direito Ambiental: 2 questões
Direito da Criança e do Adolescente: 2 questões
Direito do Consumidor: 2 questões
Direito Internacional: 2 questões
Filosofia do Direito: 2 questões

Por meio do quadro, fica claro que as suas prioridades de estudo devem se voltar para questões relacionadas ao Estatuto da Advocacia e Código de Ética, Direito Constitucional, Direito Civil, Direito Administrativo, Direito Processual Civil e Direito Penal. Não é que as demais não sejam importantes, é que agora você sabe que não precisa dedicar toda sua energia de modo igual para todas, dado o número de vezes que aparecem no exame.

 

3. Escreva, reescreva e escreva de novo!

Não basta ler, reler e ir dormir achando que o cérebro dará conta de memorizar. Escrever é sinônimo de compreender. Isto tem que entrar na sua estratégia de estudos. Escreva resumos, sintetize, releia. A princípio, escreva sem pensar demais, só para verificar se memorizou. Aos poucos, vá ajustando, organizando e reestruturando o conteúdo. Ainda que a primeira fase não conte com questões discursivas, escrever desde agora é um ótimo exercício e já servirá de aquecimento para a próxima etapa, em janeiro.

 

4. Cuidado com as fontes e materiais distribuídos na web

A web é uma forma incrível de auxiliar você em seus estudos, mas é preciso cautela, principalmente quando se trata de exames da OAB. Manuais extensos são considerados ultrapassados: não caia na tentação de baixar um desses. Vale muito mais a pena focar em conteúdos que sigam pelo menos estas três características: atualização, revisão e abrangência. Um material bom é um material constantemente atualizado, revisto (pois as leis mudam o tempo todo!) e que abrange boa parte do conteúdo do exame. Se tiver sido elaborado por especialistas na área e professores, melhor ainda.

 

5. Facilite sua vida: use a tecnologia a seu favor!

A sua vontade de passar no exame da OAB é imensa, mas a dificuldade em montar um plano de estudos e se organizar é igualmente proporcional?  Que tal utilizar um aplicativo que além de te mostrar qual o plano de estudos mais adequado, ainda te permite prever a nota no exame da OAB, medir suas chances em cada matéria e identificar onde você precisa melhorar? Parece bom? Pois é isso que o aplicativo Doutorize faz para você. Criado com inteligência artificial por um time apaixonado por simplificar os seus estudos, é também uma fonte confiável, pois conta com a atualização e revisão de conteúdo de especialistas como o Professor Paulo Potiara, Ph.D. em Direito Internacional pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

 

Curioso? Teste suas chances agora e comemore depois!

E aí, se sentindo mais confiante para a realização do exame? Já conhecia o nosso software? Compartilhe com a gente nos comentários!